Meninas e Meninos da Alegria

GIRAL

Linha de atuação 1: Democratização das tecnologias da informação e comunicação Linha de atuação 2: Formação profissional Linha de atuação 3: Participação nas políticas públicas e espaços estratégicos; Linha de atuação 4: Meio ambiente, educação e tecnologia

Objetivo do projeto

Objetivo Geral: Integrar parcerias municipais para qualificar e realizar ações formativas que garantam os direitos da criança e do adolescente, vítimas de diversas formas de violência, em áreas rurais. Objetivos específicos: I. Fortalecer o sistema municipal de garantia dos direitos da criança e do adolescente, integrando parceiros que atuam e defendem esta temática, com foco no cumprimento do plano de ação do Conselho; II. Realizar formações socioeducativas, garantindo vivências e acesso a atividades de lazer, arte, cultura e esportes, para 60 crianças e adolescentes de origens rurais, vítimas de diversas formas de violência, em situação de vulnerabilidade social, em horário do contraturno escolar. III. Produzir comunicação acolhedora e afetuosa, que contribua para conscientização da criação de vínculos que incentivem os atores sociais a lutarem pelos direitos e inclusão social das crianças e adolescentes do campo.

Dados de captação

Valor total do projeto: R$ 297.800,00
Valor captado até o momento: R$ 0,00
% captado: 0%
Saldo a captar: 297.800,00

Problema Social

As diversas desigualdades sociais que se revelam através da pobreza extrema, da violência, do racismo e do machismo nos pequenos municípios do Nordeste Brasileiro já se somam a outros problemas que preocupam o desenvolvimento das crianças e adolescentes do local. As drogas e os vários casos de violação de direitos têm mudado o cenário e o ritmo de vida das famílias rurais. Esta situação, agravada pelos baixos índices do desenvolvimento educacionais precisam de intervenção integrada para que os direitos da infância sejam garantidos. Somente em 2017, o Conselho Tutelar de Glória do Goitá notificou 332 casos. Desses a maioria são casos de agressão familiar, problemas comportamentais, evasão escolar, abuso sexual, abandono e trabalho infantil. Esses problemas estão no topo do gráfico de atendimento do Conselho.

Solução

Realizar capacitação para integrantes do Sistema de Garantia de Direitos sobre elaboração e gestão de projetos e monitoramento e avaliação de políticas públicas. Realizar 02 seminários sobre ações de fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente. Criar uma rede de monitoramento das ações de proteção as crianças e adolescentes do município, colocando em prática o plano de ação do conselho. Identificar e selecionar 60 crianças, estudantes de escolas públicas, de origens rurais, vítimas de diversas formas de violência para participar do projeto, em horário do contraturno escolar. Realizar aulas e oficinas de esportes, teatro e artes para 60 crianças e adolescentes, no contraturno escolar, garantindo o acesso a cultura, a melhoria do rendimento escolar, diminuindo os índices de trabalho infantil pela inclusão social. Acompanhar e monitorar o desenvolvimento integral de 60 crianças e adolescentes, a partir de visitas e ações, integrando escola, família, comunidade e organização. Realizar mapeamento e diagnóstico dos programas e ações que, de forma qualitativa e sustentável, contribuem com a garantia dos direitos das crianças e adolescentes. Pesquisar e diagnosticar os casos de negligência e negação de direitos das crianças e adolescentes do município. Produzir uma cartilha sobre o cenário que envolve as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, ou não, no município. Realizar um seminário para fazer o lançamento da cartilha e discutir sobre a necessidade de ações protetivas para as crianças e adolescentes do município.

Metodologia

O projeto seguirá a metodologia de formação do Giral. Metodologicamente, será embasado pela teoria do Educador Paulo Freire, atualizada pelos estudos de Ismar de Oliveira da Universidade de São Paulo. Dessa forma, os estudantes passarão por períodos formativos em suas escolas, no horário do contraturno escolar, participarão de intercâmbios e desenvolverão atividades práticas nos grupos sociais de suas comunidades, alternando-os, de forma a promover a reflexão - ação-reflexão. Nessas práticas, os saberes empíricos serão valorizados e considerados como conhecimentos básicos para o entendimento e justificativa às novas construções. As comunidades das crianças, adolescentes e jovens serão ao mesmo tempo, campo para estudos e atuação, formando Ecossistemas Educativos. Ainda como forma metodológica, o projeto será norteado por estudos da Universidade Federal de Pernambuco e pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, futuras parceiras da iniciativa, no incentivo a criação de ambientes educativos e o reconhecimento do campo, como um local de vida e aprendizado. Para monitoramento e avaliação o projeto seguirá as teorias de J. Hoffmann, avaliando o educador. As formações serão realizadas com base no diálogo, na pesquisa, mobilização social e ação do aprender fazendo.

Metas

Descrição da meta 1_Tri 2_Tri 3_Tri 4_Tri
60 crianças e adolescentes formados 0 0 0 100
Profissionais capacitados 0 0 0 100
Produção de cartilha/livro 0 0 0 100

270 beneficiados


42%

58%
Abrangência: Glória do Goitá (PE) Glória do Goitá (PE)

Beneficiados por faixa etária

Crianças: (33%)
Adolescentes: (67%)
Adultos: (0%)
Idosos: (0%)

Cronograma

Atividades Jan-2019 Dez-2019
Divulgação e reunião com parceiros
Seminário de abertura do projeto
Formação para crianças e adolescent
Formação para profissionais
Seminário de culminância

Apoiadores

Prefeitura Municipal de Glória do Goitá (parceira). Canal Futura (parceiro) CMDCA (parceiro) Conselho Tutelar (parceiro)