CÂNCER INFANTO-JUVENIL EM FOCO”

Funfarme | Hospital de Base

Centro médico de referência para o atendimento de mais de 2 milhões de habitantes dos 102 municípios pertencentes à Divisão Regional de Saúde de Rio Preto, o Hospital de Base atrai pessoas de todas as regiões do Brasil e até da América Latina, que reconhecem a qualidade da Medicina e de seus serviços. Isto faz com que o HB apresente números impressionantes, que o colocam entre os maiores hospitais do Brasil.

Objetivo do projeto

Oferecer cuidado humanizado, diagnóstico precoce, tratamento e cura para crianças e adolescentes, atendidos pelo setor de Oncologia Pediátrica do Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto.

Dados de captação

Valor total do projeto: R$ 2.085.600,00
Valor captado até o momento: R$ 1.300,00
% captado: 0%
Saldo a captar: 2.084.300,00

Problema Social

Ao longo dos anos, muitos são os avanços da medicina e as descobertas de novos tratamentos para o câncer. No entanto, a doença continua sendo uma das mais temidas do nosso tempo, principalmente, quando diagnosticada em crianças. Atualmente, são extremamente preocupantes os dados sobre a mortalidade por câncer infantil. A cada um minuto, uma criança é diagnosticada com câncer no mundo. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é que cerca de 12 mil novos casos sejam registrados por ano no Brasil, uma média de 33 por dia. De acordo com o Ministério da Saúde, a doença é a segunda causa de mortes entre as crianças brasileiras com menos de 15 anos, atingindo cerca de cinco crianças por 100 mil habitantes. Estima-se 124 casos a cada 1 milhão de habitantes brancos, e de 98 casos por milhão de habitantes negros, são estimados 7 mil casos novos anualmente. Receber o diagnóstico de câncer pode gerar muitas mudanças em todos os níveis da vida da criança. Ameaças e alterações no estilo de vida podem ocorrer, criando uma situação de estresse enorme tanto para as crianças quanto para os seus familiares. O câncer surge num momento em que a criança e o adolescente estão buscando por independência e autoafirmação, de modo que, a doença acaba interrompendo a fase em que estão começando a vivenciar experiências novas, a sonharem em realizar grandes feitos no mundo. Dessa maneira além do impacto simbólico que a doença traz, este paciente se confronta com uma realidade perturbadora, pois terá que lidar com sua autoimagem, com o preconceito, com relacionamentos familiares e de amizade, com um novo ambiente hospitalar e ver interrompida a realização de seus desejos e aspirações. No entanto, tem sido nítido o aumento da sobrevida e cura da doença, pois estima-se que cerca de 70% das crianças acometidas de câncer podem ser curadas, se diagnosticadas no início. A maioria dessas crianças terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado. A maioria dos casos de câncer na infância não tem causa conhecida. Existem vários componentes que podem estar associados ao aparecimento do tumor, como predisposição genética, infecções, exposição a fatores externos como alimentação e outros. Algumas crianças podem nascer com a doença. Por causa disso, não se fala em prevenção do câncer infantil e sim, em diagnóstico precoce, para que o tratamento seja iniciado o mais breve possível. Porém, a criança e o adolescente percorrem um longo caminho diante da situação oncológica, e encontram muitas dificuldades relacionadas ao acesso aos recursos diagnósticos, o que compromete as possibilidades de um diagnóstico precoce. As neoplasias mais frequentes na infância são as leucemias (componentes celulares do sangue), tumores do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático). Também acometem crianças o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal), tumor de Wilms (tumor renal), retinoblastoma (tumor da retina do olho), tumor germinativo (tumor das células que vão dar origem às gônadas), osteossarcoma (tumor ósseo), sarcomas (tumores de partes moles). Os sinais e sintomas não são necessariamente específicos, em alguns casos a criança ou o jovem pode ter o seu estado geral de saúde ainda em razoáveis condições, na fase inicial da doença. Por isso, é muito importante estar atento a algumas formas de apresentação dos tumores da infância. Hoje a pesquisa desse reflexo poderá ser feita desde a fase de recém-nascido. De qualquer forma, o medo do desconhecido está sempre presente após o diagnóstico, e durante a hospitalização, as fantasias e imagens que as crianças elaboram as remetem a situações de abandono, perda e solidão, podendo se transformar em experiências traumáticas, e agravar ainda mais seu estado clínico. O tratamento quimioterápico também causa muito medo e representa uma segunda doença, pois os sintomas iniciais desaparecem, permanecendo somente os efeitos colaterais dos quimioterápicos, o tratamento geralmente é considerado doloroso para a criança, e motivo de sofrimento para seus familiares. Portanto, o câncer infanto-juvenil e sua terapêutica são fatores causadores de significativo sofrimento psicológico. Assim, devido ao impacto que a doença causa, torna-se fundamental o cuidado humanizado, o atendimento psicológico, o ajustamento emocional e a identificação do modo como as crianças lidam com a enfermidade, que pode ser feito por meio de elementos de mediação como, por exemplo, brincadeiras, que poderá possibilitar conhecer e compreender o mundo interno delas, auxiliando-as na busca da ressignificação da doença e até mesmo da hospitalização, visando proporcionar qualidade de vida e bem-estar, bem como oferecer apoio psicológico para seus familiares, visto que a realidade de ter um filho com câncer pode vir transformar profundamente o cotidiano de toda a família. O setor de oncologia pediátrica do Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto está em fase de implantação. Mesmo assim, o HCM já atende, atualmente, mais de 200 crianças e adolescentes com diagnóstico da doença. O Hospital da Criança procura oferecer maior possibilidade de diagnóstico precoce, tratamento e cura para essas crianças e adolescentes. Para tanto, possui equipes multidisciplinares, exames, procedimentos e tratamentos de ponta fazem parte do grande aparato médico tecnológico disponibilizado pelo Hospital para o tratamento de todos os tipos de canceres infantis sejam eles de caráter hematológico (leucemias) ou de tumores sólidos. A equipe de Oncologia Infantil tem a sua disposição psicólogos, terapeutas ocupacionais, dentista, nutricionista, enfermagem, médicos clínicos e cirurgiões especializados no tratamento dos pacientes admitidos no serviço. Com a implantação deste projeto, o Hospital terá condições de aumentar o número de atendimentos, e principalmente, oferecer acolhimento a uma grande parcela desta população infanto-juvenil vitimada com essa terrível doença. A perspectiva de atendimento infantil envolve não somente a resolução da demanda de casos de competência como também assistência em nível nacional através do programa Tratamento Fora Domicílio - TFD, possibilitando acesso a leitos especializados para esta população vulnerável de crianças atendidas pelo Sistema Único de Saúde. Portanto, a proposta deste projeto é contribuir com a ampliação da assistência, com tratamento e atendimento humanizado e de excelência às crianças e adolescentes que necessitem de tratamento especializado.

Solução

Promover melhores condições de atendimento de crianças e adolescentes por meio de equipamentos novos e de Profissionais especializados; • Criar espaços de apoio ao atendimento como: brinquedoteca, sala de aula, consultórios, sala multidisciplinar, quimioteca e sala de estar para as mães; • Aprimorar a realização de diagnósticos precoces e tardios na pediatria de média e alta complexidade; • Contar com equipes altamente qualificadas para prestar atendimento com humanização e técnica apurada; Promover nas crianças e adolescentes, visando o fator psicológico, esperança e aumento da possiblidade de cura e de vida; • Reduzir o tempo de espera para realização de exames e procedimentos diagnósticos, terapêuticos e de estadiamentos, através da aquisição de novos equipamentos; • Promover condições para o aumento da autoestima, para que as crianças e adolescentes, continuem com o desejo de vida e princípios éticos e moral, onde possam viver o amor e respeito em suas comunidades; • Promover o desenvolvimento psicossocial de crianças e adolescentes e de seus familiares e acompanhantes; • Realizar oficinas de saúde e conhecimento para crianças e adolescentes em tratamento no Hospital.

Metodologia

Com a proposta de cuidar do paciente da forma mais ampla possível, não apenas do ponto de vista médico, mas também social e emocional, uma equipe multidisciplinar acompanhará pacientes e familiares durante o tratamento do câncer e no retorno às atividades diárias. Os pacientes de 0 a 18 anos que são e serão atendidos em nossas Instalações, são encaminhados pelo Serviço Social, Unidade Básica de Saúde e Serviço de Urgência e Emergência. Após confirmado o diagnóstico da neoplasia maligna, através de exames clínicos, laboratoriais e de imagem, será iniciado o tratamento. Além do tratamento em si, o Hospital da Criança e Maternidade oferecerá aos pacientes da oncologia pediátrica diversos serviços em paralelo ao tratamento oncológico. Entende-se que a criança e o adolescente necessitam de atenção especial, principalmente durante um momento tão delicado de suas vidas.

Metas

Descrição da meta 1_Tri 2_Tri 3_Tri 4_Tri
Diminuir os índices de mortalidade 12 12 13 13
Aumentar a adesão ao tratamento 25 25 25 25
Aumentar e n° diagnóstico precoce 12 12 13 13

2.000 beneficiados


50%

50%
Abrangência: Bady Bassitt (SP) São José do Rio Preto (SP) Todas as cidades (SP)

Beneficiados por faixa etária

Crianças: (50%)
Adolescentes: (50%)
Adultos: (0%)
Idosos: (0%)

Cronograma

Atividades Jan-2019 Jan-2020
Adequação do Espaço Físico
Adquirir materiais de consumo e per
Aquisição de Equipamentos
Contratar Profissionais
Inauguração
Operacionalização das atividades
Acompanhamento e avaliação

Apoiadores